Programa Vivenda

Atuando em moradias de bairros periféricos de São Paulo, regularizados ou não. O Programa Vivenda direciona o seu trabalho para uma demanda habitacional qualitativa – ao invés da quantitativa – não atendida pelo poder público, tampouco pela iniciativa privada. Esta demanda, portanto, materializa-se em reformas de baixa complexidade para a melhoria de ambientes já construídos e não em ampliações ou construçõess de novas moradias.

A mudança vem de dentro. Na casa, na relação com a casa, na relação consigo mesmo e na relação com a Comunidade. Para além de um espaço físico, a moradia é um espaço psicológico, logo, a reforma é capaz de interferir em esferas pessoais e comunitárias. “Arrumar a casa” tem um significado que transborda o literal.

A reforma funciona como uma provocação que, se acolhida, pode representar o resgate / reforço da auto estima, o ponto de partida para uma revisão de posturas e de novas contestaçõess perante a vida, a materializaçãoo de uma vontade interna de “ir além”.


Em 2016 com um pouco mais de dois anos de atuação o programa vivenda foi selecionado junto com mais 14 projetos para integrar a mostra “JUNTOS” do curador Washington Fajardo escolhido pela Fundação Bienal de São Paulo para 15ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza - Reporting from the front

As fotografias apresentam seis moradores que participaram do Programa Vivenda.

site: www.programavivenda.com.br

fotografia: fernando banzi e lauro rocha

texto: programa vivenda

residencia_01_02
residencia_01_08
residencia_02_08
residencia_02_02
residencia_03_04
residencia_03_01
residencia_04_09
residencia_04_08
residencia_05_04
residencia_05_03
residencia_06_01
residencia_06_03

2018 ©fernando banzi