ostensivo

Pelo aumento abusivo de três e cinquenta.

 

Confirmar local e horário do evento no Facebook : primeiro ato contra o aumento abusivo da tarifa de ônibus confirmado! Capacete, máscara de gás, verificar equipamento, celular, carteira e bike.

 

Avenida Paulista: R$3,50 NÃO! depois do aumento da tarifa de ônibus subir de R$3,00 para R$3,50 o Movimento Passe Livre (MPL) foi para as ruas se manifestar e pedir o Passe Livre para todos em janeiro de 2015.

 

Sobre as manifestações: elas ganharam força e sequência desde seu começo em junho 2013 com o próprio MPL reivindicando passe livre à todos e contra o aumento da passagem, 2014 as da copa do mundo, desta vez a massa mais dividida pró e contra governo; 2015 você tem o MPL levantando bandeira já em janeiro, seguido os movimentos ligado a direita também se articulam e sai às ruas agora pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff; 2016 os secundaristas vão contra o projeto de reorganização escolar do governo Geraldo Alckmin (PSDB) e,  na sequência, as manifestações verde e amarela contra o governo federal que querem o impeachment da presedenta ganham força da mídia tradicional e, em contraponto, estão nas ruas os pró governo e quem não está satisfeito com o resultado positivo de impedimento; assume um governo considerado golpista que se diz legítimo.

 

Do lado de lá das faixas, cartazes e palavras de ordem para prevenção e repressão ao crime, manutenção da ordem pública e cumprimento das leis - fazendo o uso legítimo da força, se necessário - está a polícia militar do estado de São Paulo, com suas inúmeras atividades operacionais.

 

Entre as estratégias aplicadas a essas atividades operacionais, a escolha da polícia ostensiva, uniformizada, fardada, identificada, empossada para coibir o crime com sua simples presença, bem como reprimi-lo tão logo ele aconteça na atividade de policiamento está o policiamento ostensivo.

policiamento ostensivo: é a modalidade de exercício da atividade policial desenvolvida intencionalmente à mostra, visível — em contraposição ao policiamento velado, secreto. Caracteriza-se pela evidência do trabalho da polícia à população, pelo uso de viaturas caracterizadas, uniformes, ou até mesmo distintivos capazes de tornar os agentes policiais identificáveis a todos. A atividade de policiar consiste resumidamente em fiscalizar comportamentos e atividades, regular, ou manter a ordem pública, reprimindo crimes, contravenções, infrações de trânsito etc., zelando pelo respeito à legislação pelos indivíduos.

Tal modalidade de policiamento tem por objetivo principal atingir visibilidade à população, proporcionando o desestímulo de infrações à lei e a sensação de segurança (prevenção a infrações legais e profilaxia criminal), por demonstrar a força e a presença estatal, além de proporcionar segurança aos próprios agentes em diligências.

No trabalho Ostensivo, a narrativa visual das fotografias(díptico e trípticos) leva-nos, por vezes, a observar por de trás de um muro cinza formado pela polícia militar e seus aparatos bélicos, a partir dessa problemática me ponho a questionar: Para além da paleta de cinzas, o que mais posso ver?

 

O ensaio procura as frestas, a luz que rompe, as rachaduras que esse muro cinza coloca aos olhos, e convida o espectador a olhar mais perto e também questionar ­­­­­­– quem são esses que organizados se fazem da força bruta e desigual? porque se “escondem” atrás de fardas e escudos? Essa ostensividade traz uma sensação de segurança ou insegurança? e por fim, porque ter tratos diferenciados quando o discurso que vem das ruas é mais populista ou eletista?

 

participando dessas manifestações tive uma certa sensação de insegurança, a sensação de que a ostensividade na verdade carrega muito mais uma carga de insegurança e vulnerabilidade do que de proteção, de servir o cidadão, são desses questionamentos e dessa ótica de observar o policiamento militar, que se desenvolve o ensaio.

 

O ensaio foi publicado na revista OLD #59 - CLIQUE AQUI


Também colaborou para o relatório anual (2015-2016) da ONG ARTIGO 19 sobre as violações ao direito de protesto no Brasi - veja a versão digital - CLIQUE AQUI

1/12

2018 ©fernando banzi